Maconha na roda

Pesquisa, discussão, informação, comunicação e Ação.

30 abril 2011

Marcha do Rio autorizada



Felizmente depois do absurdo ocorrido no dia 23/04, (quando quatro manifestantes da marcha da maconha no Rio de Janeiro foram detidos fazendo panfletagem) chega uma notícia boa!

Vamos ver aqui no DF! 
Já entramos com pedido de Habeas Corpus e de autorização de uso da via... 

Segue a notícia:



Justiça autoriza realização da Marcha da Maconha no Rio

A Justiça do Rio de Janeiro concedeu habeas-corpus preventivo nesta quinta-feira para que manifestantes possam participar, sem serem presos, da Marcha da Maconha no dia 7 de maio. A decisão foi proferida em favor de Renato Athayde Silva, João Gabriel Henriques Pinheiro, Thiago Tomazine Teixeira, Adriano Caldas Cavalcanti de Albuquerque, Achille George Telles Lollo e Antonio Henrique Campello de Souza Dias, mas é válida para todos os demais. Eles deverão participar do movimento sem usar ou incentivar o uso da substância entorpecente.

O juiz acolheu o pedido com base em decisões anteriores, que foram concedidas para evitar a prisão dos manifestantes na marcha realizada em 1º de maio de 2010. "Com efeito, o direito invocado pelos pacientes possui fundamento constitucional, a uma, por lhes ser conferida a possibilidade de reunião pacífica em locais abertos ao público, e a duas, pois o que pretendem os postulantes é a garantia da expressão de uma ideia, uma opinião, um pensamento, o que se distingue de fazer apologia ao uso de substâncias entorpecentes ou a qualquer outra conduta delitiva, como o tráfico de drogas", afirmou o juiz Alberto Fraga.

O magistrado disse ainda que a proposta da manifestação é discutir uma política pública e defender a exclusão da maconha do rol das substâncias ilícitas, sem incentivar o seu uso ou comércio. A ação foi proposta contra o delegado de polícia da 14ª DP e o comandante do 23º Batalhão de Polícia Militar.

28/04/2011
http://noticias.terr...nha+no+Rio.html 

28 abril 2011

27 abril 2011

AMANHÃ FESTA GRATIS

Roupas feitas de MACONHA





O site hempbasics.com vem desde de 1991 vendendo seus diversos produtos produzidos de cânhamo, uma variedade deles. Dentre os produtos distribuidos estão o Hemp Clothing, Hemp Fabric, Hemp Twine and Cord, Hemp Bags, Hemp Rope, Hemp Accessories, Hemp Seed Oil e muito outros.



O destaque dessa pagina vai para a seção de roupas de cânhamo, o Hemp Clothing, queapresenta uma grande variedade nos artigos de vestuario misturando o cânhamo com outros tecidos. Os belos ítens de vestuários da HempBasics não são apenas "verdes", mais duráveis e confortáveis.


Fabricados por fábricas que respeitam os princípios ambientais e de comércio justo, esses ítens são fortes candidatos a se tornarem seus favoritos, causando prazer por muito tempo graças sua durabilidade.



25 abril 2011

Kestrel - O Hemp Car - Em 2012 nas ruas

São Paulo - A montadora Canadense Motive deve começar a comercializar até 2012 o Kestrel, um hatchback de três portas com carenagem feita a partir de composto de cânhamo.

Segunto Nathan Armstrong, presidente da Motive, o material é tão forte quantoa fribra ultilizada em barcos, porém muito mais leve. Com isso o peso veículo deve ficar por volta de 850 Kg, o que reduziria sua necessidade de energia para locomoção. Armstrong deseja aumentar a eficácia do combustível ultilizado em 25% e 30%. O carro será movido à eletricidade.

Para fabricar o material, a empresa mistura os talos do cânhamo a uma resina polímera. O resoltado é um composto similar à fribra de carbono, ultilizada em carros de corrida, como os da Fórmula 1.
O preço do Ketrel deve ficar em torno de 25 mil dólares.



Fonte: Revista Abril

23 abril 2011

Divulgue você também!



Ativistas detidos no Rio de Janeiro

Detidos na noite de sexta-feira (22 de abril) na Lapa, RJ, quarto ativistas da Marcha da Maconha, dentre eles, Renato Cinco, Thiago Tomazine, Achille Lolo e Adriano Caldas doram detidos e acusados de apologia ao crime no artigo 287 do código penal. O advogado do grupo que compareceu a delegacia orientou os ativistas a só prestarem depoimento em juízo. Felizmente nossos quatro ativistas foram liberados em seguida.

RELATO DO RENATO CINCO: Estavamos na Lapa divulgando a MArcha quando fomos apreendidos pelo Batalhão de Choque da Polícia Militar que nos encaminhou para à 5ªDP.
O delegado decidiu prender todo nosso material e nos indiciou por apologia ao crime. Perdemos nosso banner, 14 camisas e 1200 panfletos.
A grande coincidência fiu que tudo ocorreu um dia depois de completar 3 anos da detenção de 21 de abril de 2008 quando também fui acusado de apologia.
Em 2008 o Ministério Público mandou o processo para arquivo. Esperamos que novamente a liberdade de expressão vença.

Uma vergonha para nosso país, policiais agem se baseando na moral e bons costumes. ONDE FICA A LEI NISSO TUDO?

Camelô Cannábico: vendas/informações da Marcha da Maconha - DF




















Stand de vendas dos ativistas da Marcha da Maconha de Brasília, levanto informações a todos os lugares. Stand montado na ultima quarta-feira dia 20 no show do Skatalites, com camisas, caixas de fósforos, dixavadores, sedas, livros, flyers e cartilhas, além de muita música e pessoas descontraidas.

Mais um ponto pro coletivo.


Um salve para os ativistas que deram um gás ai nesse corre!




Saudações Cannábicas Revolucionárias _\/_




































































10 abril 2011


video





video


Muito engraçado esses caras né?


Mais ta aí nossa Marcha da Maconha de 2009 - LIBERADÍSSIMA


No ano de 2008 tivemos cerca 80 participantes, em 2009 aumentamos o numero para mais de 250 participantes na Marcha.



video


Pra você ficar por dentro da nossa tragetória nas marchas da maconha.


Em 2008 como muitos de vocês acompanharam pela mídia, a Marcha da maconha foi proibida em 9 cidades, dentre essas a nossa querida Brasília. Em uma decisão que saiu na tarde do dia 02 de maio de 2008, nos autos do processo Nº 2008.01.1.047929-4, a juíza da 3ª Vara de Entorpecentes de Brasília decidiu, liminarmente proibir o evento conhecido como Marcha da Maconha. Deixando seus organizadores sem chances de recorerem já que o evento estava marchado para o domingo dia 04 só poderiamos dar entrada com um recurso na segunda dia 05, ou seja, tarde demais.


Dentre as alegações para probibir a marcha estão a de que a Marcha da Maconha prega total apologia ao crime, trambem foi alegado que a como a Marcha da Maconha foi divulgada em sites de relacionamento da internet, foi alcançado pelo público geral, sem distinção de idade, pregando apologia ao crime para crianças. Os organizadores da Marcha da Maconha de 2008 como foi citado no documento entregue ao Ministério Público que se enquadravam no Art. 33 sa Lei 11.243/06 so Codigo Penal:


§ 2 Induzir, instigar ou auxiliar algúem ao uso indevido de drogas acarreta pena de detenção de um a três anos. Pena: - detenção, de 1 (um) a 3 (três) anos, e multa de 100 (cem) a 300 (trezentos) dias-multa.


Artigo 287 do CPB:


Fazer, publicamente, apologia de fato criminoso ou de autor de crime. Pena - Detenção de 3 (três) a 6 (seis) meses, multa.


Artigo 288 do CPB:


Assiciarem-se a mais de três pessoas, em quadrilha ou bando, para fim de cometer crime. Pena - Reclusão de 1 (um) a 3 (três) anos.


Uma das organizadoras do evento de 2008, a estudante Isabella Góis, foi chamada à policia para prestar esclarecimentos sobre o fato. Como não ficou comprovada sua real participação no evento já que o mesmo estava sendo articulado principalmente em redes da internet, não coube a ela nem uma das medidas citadas acima.


O vídeo que vocês viram a cima é a prova de como aconteceu ou não a Marcha de 2008 em Brasília.